Boa Madrugada! Quinta-feira, 13 de Dezembro de 2018

Notícias

Política

EXCLUSIVO: Entrevista bombástica com Pr Silvano, vice-prefeito de Itapecuru

Sereno, tranquilo e de bem com a vida, curtindo a família e alguns amigos na varanda de casa. Assim foi a conversa com nosso entrevistado que resolveu aceitar o convite feito pelo Itapecuru Notícias para dizer à sociedade itapecuruense a sua versão dos fatos. De tão à vontade, além de responder as perguntas ainda fez revelações de fatos desconhecidos do grande público. Algo que vai mexer com a política local.

Silvano Pinho de Sousa, 45 anos, natural de Santa Rita-MA, casado com Sônia Sousa, pai de dois filhos, Deborah Sousa (bioquímica) e Erik Sousa (Advogado), chegou a Itapecuru no ano de 2006. Como pastor evangélico desde então desenvolve trabalho de evangelização e apoio social na região do Entroncamento.

Em 2012 venceu as eleições municipais para o cargo de vice-prefeito concorrendo pela chapa Itapecru Para Todos, composta pelos partidos PRB, PP, PPS e PSDC (partido do qual é presidente) que tinha como candidato a prefeito o professor Magno Amorim (PPS). Assumiu a administração em duas ocasiões, a primeira por determinação judicial e a segunda por conta de processo de cunho parlamentar instaurado contra o prefeito Magno por imporbidade administrativa. A qualquer momento pode reassumir o cargo de gestor municipal, visto que a câmara de vereadores concluirá o processo nos próximos dias e a justiça ainda analisa o caso.

Publicidade

O ROMPIMENTO

iN - O senhor disputou as eleições ao lado de Magno Amorim na chapa que tinha o objtivo (ao menos quem os elegeram pensavam assim) de fazer uma administração para o povo de Itapecuru, a música de camapanha era contagiante, os discursos eram animadores. O que deu errado e fez o senhor romper com o prefeito?

Pr. Silvano – Quando a administração começou a tomar um caminho diferente do que havíamos proposto, de servir ao povo. Quando o individual começou a falar mais alto que o coletivo, quando a minha experiência de vida e minhas ideias passaram a não ser aceitas por estarem em desacordo aos interesses pessoais de quem estava à frente da gestão municipal.

Fui eleito para servir a quem mais precisa, aqueles que viram em nós a esperança de dias melhores, que apostaram não em quem tinha milhões, mas em nós que tínhamos a vontade de mudar, fazer diferente. Quando percebi que os rumos estavam começando a seguir diferente disto até tentei alertar para retomada da direção, mas não fui ouvido. Assim sendo, não me restou outra alternativa senão romper, jamais poderia ir contra meus princípios.

NO CARGO DE PREFEITO

iN – O senhor assumiu a prefeitura em dois momentos, no primeiro por uma determinação judicial provocada pelo ministério Público e no segundo pela câmara de vereadores que afastou Magno Amorim. Como o senhor encarou esses dois momentos?

Sr. Pastor – Com tranquilidade, isso iria acontecer mais cedo ou mais tarde pelas decisões que foram tomadas durante este governo. Eu alertei, chamei atenção porque ouvia a população reclamando da falta de tudo, dos salários atrasados, os fornecedores cobrando proque não recebiam e eu não podia fazer abslutamente nada. Não me escutavam, ignoravam minhas opiniões.

Na primeira vez que assumi tratei imediatamente de resolver este tipo de situação, fui ao banco para acertar o pagamento dos servidores que estavam (e muitos ainda estão) com salários atrasados, cumpri compromisso com os fornecedores e conseguimos pagar alguns. Mostramos que havia condições de efetuar o pagamento e assim o fizemos, estávamos preocupados com a limpeza da cidade que estava suja, pedimos um relatório completo de como estava o município para podermos agir. Isso não foi possível porque o pessoal do Magno quando saiu levou os computadores e os dados não puderam ser analisados. Dados importantes como repasses ao INSS, inclusive, não puderam ser enviados por esta irresponsabilidade.

No banco tivemos uma demora por conta da troca de titular das contas e este processo não é rápido, mas resolvemos e quando começávamos a colocar o município nos trilhos uma decisão judicial reconduziu Magno ao cargo. Tivemos que abortar o que começamos.

Da segunda vez tentamos dar continuidade ao trabalho que iniciamos, pagamento dos funcionários e fornecedores, cuidar da cidade. Outra vez nosso trabalho foi abortado e aí está a situação hoje, um caos administrativo. Nosso povo não merecia estar sofrendo ainda mais com tudo isso. Não merece.

iN – O senhor foi acusado de demitir em massa todos os funcionários comissionados da prefeitura logo que assumiu, por que essa decisão?

Pr. Silvano – Estes cargos são de confiança da administração, o gestor deve ter consigo quem vai ajudá-lo a trabalhar em prol do município. A exoneração é apenas um procedimento administrativo, tanto que alguns continuaram conosco, porque já desenvolviam um trabalho sério e de resultados. Mas eu trabalho com quem eu confio, por isso delego poderes, dou total liberdade de ação para quem sabe, quer e tem competência. Quem conhece administração sabe que não teve nada de mais, apenas um procedimento padrão.

Aliás, meu secretariado é feito de pessoas qualificadas para os cargos. Nenhum deles recebeu qualquer crítica pejorativa sobre ter sido nomeado, ao contrário, recebemos muitos elogios. A população viu a seriedade do nosso trabalho e nossa vontade em colocar em prática o que acreditamos ser melhor para Itapecuru.

Lehon Amorim (educação), Adrio Monroe (Agricultura), Anacleta Belfort (cultura), Kely Vilena (saúde), Olinda Mendes (finanças), Sônia Sousa (Ass. Social), Edna Cantanhede (Sec. de Governo), Robenildo Santos (esporte), José Carlos Rodrigues (articulação), Carlos Furtado (administração), Edivaldo Trindade (infraestrutura).

PAGAMENTO DE SECRETÁRIOS

iN – O senhor foi acusado pela Rádio 90FM de ter pago salário integral (30 dias) a todos os secretários municipais que ficaram pouco mais de dez dias no cargo. Esta informação procede?

Pr. Silvano - Não sou amante da mentira, mas tambem não sou o dono da verdade e afirmo que estou sempre ao lado dela. Afirmo ainda, a você, Alberto, e ao povo de Itapecuru, que nenhum dos secretários interinos foi pago, embora eu desejasse que eles recebessem pelo menos os dias trabalhados. Uma vez que todos trabalharam com muita dedicação e respeito para o nosso povo itapecuruense.

Nós vamos processar não só a Rádio 90FM como também esse apresentador que eu nem sei se é radialista, se é profissional mesmo. Nossa assessoria jurídica está de posse do áudio com a gravação das afirmações mentirosas que foram levadas ao ar e já solicitamos os extratos das contas bancárias dos secretários para comprovar que nenhum deles recebeu qualquer quantia. Isso é uma mentira desnecessária, não tenha dúvidas que vamos processar.

ELEIÇÕES 2016

iN – Uma outra acusação é a de que havia uma articulação para que o senhor assumisse a prefeitura com o objetivo de injetar recursos na campanha do Neto Marreca (PEN), filho do deputado federal e ex-prefeito de Itapecuru, Júnior Marreca (PEN). O que o senhor tem a dizer?

Pr. Silvano – Alberto, Os dias que fiquei à frente da gestão municipal tratei com muita responsabilidade o nosso município e não gastei nada que não fosse necessário, inclusive meu tempo. Apesar das calúnias e comentários infundados, confirmo que não foi utilizado nenhum centavo do erário na campanha eleitoral de qualquer candidato.

Nada do que está sendo veiculado nesta Rádio, por meio desse locutor estranho é verdade. Pelo contrário, configura uma grande mentira. A Bíblia diz que o diabo é o pai da mentira e ele parece que é pai do diabo. Este cidadão não consulta as informações, não tem a intenção de passar a informação certa para as pessoas, é um mentiroso, leviano.

Publicidade

75 VOLTAS AO REDOR DA TERRA

iN – Há a informação também veiculada pela mesma emissora de que o senhor teria gasto 200 mil litros de combustível durante os dias que passou no cargo. Fizemos as contas e levando em consideração um carro popular que faz 15Km com um litro, isso daria para percorrer 75 vezes uma volta completa no planeta terra. Esta informação procede?

Pr. Silvano – (risos…) Alberto, eu vou te passar a quantia exata de quanto pagamos de combustível. (risos…) Eu gostaria de dizer que tenho respeito por você, Alberto, e pelos profissionais que fazem a imprensa em nosso município. Este locutor é um leviano. A Rádio 90FM deveria ter vergonha de um locutor como este, ele deve estar querendo agradar a quem paga o salário dele. Deveria ser chamado de “LOUCOtor”. Por causa dele a emissora perde a cada dia o respeito e a credibilidade. É o que tenho ouvido nas ruas.

O que nós pagamos, Alberto, foram débitos anteriores para que o município continuasse funcionando. O prorpietário do posto me chamou, sentamos e ele me apresentou o problema de que o combustível iria acabar e ele estava com dificuldades em repor o estoque, que tudo iria parar. O que fizemos? Corremos atrás para que isso não acontecesse e efetuamos o pagamento, algo em torno de R$ 500 mil que vou lhe passar a doumentação depois.

Veja a situação dos estudantes universitários, nós impedimos que eles ficassem sem assistir às aulas, o mesmo aconteceu com o transporte escolar, com as ambulâncias do município. Pagamos débitos anteriores a nossa chegada ao cargo. Hoje os universitários estão tendo que fazer “vaquinha” nas vans e carros para não serem prejudicados, estão tendo que tirar do bolso e isso é um desrespeito. E o pessoal que faz hemodiálise? São pessoas que precisam ir nos dias determinados, são vidas, com vidas não se brinca. Pensamos nestas pessoas e no bom andamento do município.

Este é outro caso que nossa assessoria jurídica já está cuidando e vamos acionar a justiça, temos os áudios e as provas, o banco tem os extratos, nós temos documentos. Eu paguei porque o dinheiro estava lá e esse dinheiro é do povo, não é meu nem de Magno. Aliás, Magno que poderia até ter prazer em ver o dinheiro lá na conta, eu não. Paguei o povo e assim farei todas as vezes que estiver lá.

ARTICULAÇÃO A FAVOR DE MAGNO

iN -  A população comenta que há uma movimentação estranha depois do resultado da eleição. Parece que esfriou o processo de cassação do prefeito Magno Amorim na câmara dos vereadores, o relator da comissão inclusive foi mudado, houve uma nova eleição para o posto e muitos vereadores debandaram. O senhor, assim como a população, também acha estranho isso?

Pr. Silvano – Antes da eleição Magno era ameaça pelo temor dos seus adversários de que ele usasse o erário público a seu favor, depois da eleição o prefito eleito, Miguel Lauand, não tem interesse que ele saia do cargo porque acha que se eu assumir vou dilapidar o dinheiro do município. Que eu vou entregar dinheiro para Júnior Marreca, que vou fazer e acontecer. Júnior Marreca nunca me pediu um centavo, ele não precisa disso.

A Rádio 90FM passou três anos e nove meses batendo em Magno, mostrando isso e aquilo. Na véspera da eleição colocaram no ar isso e aquilo com temor de que ele pudesse vencer a eleição de novo, agora querem transformar Magno num santo. Porque não têm mais interesse que ele saia do cargo e então eu pergunto: O povo vai continuar sofrendo? Isso não importa? Então o interesse era apenas garantir a vitória nas eleições? Passaram três anos batendo no prefeito até a véspera da eleição, agora é o tal do “deixa quieto”.

CORONEL SARUÊ

iN – O senhor foi retratado como um adminitrador linha-dura, que no pouco tempo de gestão municipal cometeu desmandos etc. No decorrer de nossa entrevista e após os esclarecimentos dados, fica claro que a “conversa não é bem assim”. O que o senhor tem a dizer?

Pr, Silvanos – (risos….) Desculpa, Alberto, é que esse “LOUCOtor” da Rádio 90FM por querer agradar a quem paga seu salário acaba sendo ridículo (risos…). Como eu disse antes, não sou amante da mentira, mas tambem não sou o dono da verdade e afirmo que estou sempre ao lado dela. Paguei funcionários que estavam em atraso, paguei alguns fornecedores, honrei compromissos que não foram assumidos por mim enquanto gestor, não deixei que educação, saúde, infraestrutura, enfim, o município parasse. Tentei reorganizar a administração, busquei parcerias, permiti que meu secretariado tivesse “carta branca” para trabalhar. Isso é ser linha-dura?

Ele quis me comparar a um personagem de novela da Globo, o coronel Saruê, particularmente eu até acho que sou mais charmoso que o Fagundes, mas tudo bem (gragalhadas….). O Saruê da novela não tinha parcerias, queria tudo do jeito dele, não estava nem aí para o povo. Pelo que você ouviu aqui e vai comprovar pelos documentos, Alberto, deu para perceber que isso não tem nada a ver.

Mas quando ele me chamou de Saruê, permitiu que eu devolvesse na mesma moeda e eu passei a chamá-lo de “Cachorro Boca Podre”. Porque ele só prega mentira, engano, só sai coisa podre, não faz o trabalho de verificar as informações antes de levar ao ar. A população precisa ouvir a verdade, precisa de respeito, de profissionalismo e eu nem sei se ele é radialista. Por isso nós iremos buscar nossos direitos judicialmente, vamos processar tanto a rádio quanto o locutor para aprender a ter respeito. Porque isso é um desrespeito.

DIREITO DE RESPOSTA

iN – O senhor pediu direito de resposta para levar estas informações á população de Itapecuru? É uma prática no jornalismo permitir que a outra parte se manifeste em qualquer tempo. Foi dado esse direito?

Pr. Silvano – Eu fui à rádio pedir o direito de resposta e nunca me concederam, esse locutor diz que deu direito de resposta a todas as pessoas que quisessem se defender e é mais uma mentira. Eu fui lá para que ele me entrevistasse, mas nunca me chamaram. Disse que depois da eleição chamaria e até hoje. Mais uma mentira, porque não está lá para dizer a verdade. Como é que uma rádio coloca um cidadão desse só pra mentir? Isso é um desrespeito com a população.

O que eu queria era que ele tivesse a coragem de me entrevistar para que eu fosse lá mostrar para ele como é que se fala a verdade, porque ele não sabe. Por que não marca a entrevista? Deve ser por medo de ser desmentido no ar, medo do povo saber a verdade.

Publicidade

PARA FINALIZAR

iN – Qual sua relação com o prefeito Magno Amorim atualmente?

Pr. Silvano – Nenhuma. Não confio nele. Mas se porventura encontrá-lo por aí tratarei como qualquer cidadão, com respeito. Embora ele não mereça.

iN – O que o senhor gostaria de dizer ao povo de Itapecuru depois de todos estes esclarecimentos dados ao nosso site Itapecuru Notícias?

Pr. Silvano – Gostaria de agradecer o convite do site e a oportunidade de dizer a verdade ao povo do nosso município. E dizer que, se porventura eu assumir novamente a gestão da prefeitura pagarei os funcionários e organizarei o município para o próximo gestor. O povo de Itapecuru pode ficar sossegado que sou um homem determinado e responsável. Sei organizar o que está bagunçado. Itapecuru é uma cidade linda, todavia, está sucateada por um gestor irresponsavel.

 

Encerro rogando a Deus que abençoe Itapecuru. Um grande abraço do PR.Silvano.

Fonte: Alberto Júnior



Atenção: Para comentar é preciso estar logado. Logue-se agora ou clique aqui para cadastrar-se.

Comentários (1)

  • IN está de parabéns, em especial, Alberto Júnior pela belíssima condução da entrevista, levando em consideração o respeito a parte entrevistada. Parabenizo ainda o Sr. Silvano pela verdade que denota em seus textos, levando-me a crer em sua honestidade. Parabéns! Ótima entrevista

    Josania Ilaria B. Silveira